Aprenda a trabalhar sua identidade com Lia e Raquel

Saiba como viver sua identidade e ser grata pelo que Deus te deu, com os erros de Lia e Raquel que fizeram da vida uma competição.

Saiba como viver trabalhar sua identidade e ser grata pelo que Deus te deu, com os erros de Lia e Raquel que fizeram da vida uma competição.

Conheça Lia e Raquel, duas irmãs bem diferentes que se casaram com Jacó e que nos ensinam com suas histórias a trabalhar nossa identidade.

Jacó conheceu primeiro Raquel e se apaixonou perdidamente.

Então, trabalhou por ela 7 anos e após casar, percebeu que Labão, seu sogro, havia enganado-o entregando Lia que era a filha mais velha. 

Depois desse acontecido, trabalhou mais 7 anos por Raquel, totalizando assim 14 anos.

Toda essa história encontra-se em gênesis 29 e 30, você pode ler e tirar muitos ensinamentos  para sua vida. 

Lia e Raquel tinham belezas únicas, mas não tinham suas identidades em Deus.

Pois não se amavam da maneira que Ele as fez.

As duas competiam pela atenção de Jacó, pois Raquel tinha o amor de Jacó e Lia era fértil e lhe dava muitos filhos.

Elas queriam o que a outra tinha, Raquel queria ter filhos como Lia, mas era estéril.

Já Lia queria ser amada como Raquel, mas era desprezada.

Você é única

Valorizar a sua individualidade é ser grata por cada detalhe que Deus escolheu exclusivamente para você.

Saber quem você é, as qualidades que tem e os talentos que você desenvolveu ajudam muito no propósito que Deus tem para você.

Ter sua identidade definida faz com que vocẽ tenha consciência que é amada, que é escolhida, que não precisa ser comparada com ninguém e que você só precisa ser você mesma com os dons que Ele te deu.

Saber todas essas coisas te faz uma pessoa mais realizada e completa em Deus.

Dessa maneira você consegue cumprir com excelência aquilo que Ele te chamou para fazer.

A sua felicidade deve estar em Deus

identidade

Lia e Raquel colocavam suas felicidades em algo que nenhum alcançava.

E pior, cobravam isso de Jacó. Enquanto Lia pensava que sua felicidade estava em ser tão amada quanto Raquel, nada poderia dar ela satisfação e paz, nem mesmo o amor de seus filhos.

Já Raquel colocava sua felicidade na oportunidade de gerar uma vida, então o amor de Jacó não era suficiente para ela.

E assim nenhuma das duas conheciam a felicidade, pois elas colocavam suas expectativas em lugares errados.

Tudo seria diferente se a felicidade delas estivesse em Deus.

Pois elas conseguiriam ver que já tinham tudo que precisavam.

E podia ser que assim, os acontecimentos que elas tanto esperavam se cumprissem mais rápido.

Não cometa os mesmos erros que Lia e Raquel, reflita sobre tudo que Deus te deu e seja grata.

Se você deseja mais do que tem agora, comece agradecendo e perguntando a Deus se é isso que Ele quer para você.

Pratique o contentamento e veja tudo mudar.

Lia e Raquel não sabiam ser grata pelo que tinham

Uma pessoa que não sabe o que quer, nunca está satisfeita com o que tem.

Perceba que mesmo Jacó amando mais a Raquel, ele não deixou de estar ao lado de Lia como marido. 

No entanto, Lia não reconhecia que ela era abençoada por ter um marido e ser fértil em um tempo em que isso era super valorizado, pois demonstrava que Deus se agradava dela.

Tudo isso, porque a competição já havia se estabelecido.

Quando a comparação toma o primeiro lugar, todo o restante perde a importância.

Já Raquel era a amada de Jacó e tinha mais atenção e carinho.

Mas também não reconhecia o amor de Jacó e o trabalho de 14 anos para estar com ela, pois seu sonho era lhe dar filhos, de preferência tanto quanto sua irmã.

A comparação dá lugar para a inveja e dessa maneira abre espaço para muitos sentimentos ruins.

Lia e Raquel viviam em uma competição

A guerra por atenção que existia entre Lia e Raquel fazia as duas se desgastarem, sendo que as duas eram irmãs e deviam se amar e se ajudar.

Isso mostra o quanto a comparação e a inveja é algo destrutivo.

Que possamos ser mulheres que brilham suas luzes próprias e que não tentam apagar a luz da outra.

Porque entende que cada uma tem sua identidade e todas essas individualidades foram entregues a nós, no momento em que Deus nos criou.

Seja uma mulher que levanta outras mulheres

Use aquilo que Deus te entregou para ajudar mulheres ao seu redor.

Isso é gratidão e sabedoria. Você deve ser diferente de Lia e Raquel, não deixe que uma competição feminina tire o seu propósito.

E lembre-se, que aquilo que você faz por alguém, Deus faz por você.

Enquanto você ora para que Deus cuide do lar de uma amiga, Ele cuida do seu lar também. 

Ajudar outra mulher é reconhecer que sua identidade é definida em Deus.

Logo, a competição entre mulheres que a sociedade tenta vender não afeta seu caráter.

A inveja atingiu os filhos de Lia e Raquel

Crescer nesse ambiente de competição, fez com que os filhos também compartilhassem desse sentimento ruim.

Os filhos de Lia sentiam inveja de José, filho de Raquel.

E José por ser filho de Raquel era muito mais cuidado e protegido do que os outros.

Essa é uma situação que você deve se atentar, não deixe que suas vivências causem algum prejuízo aos seus filhos.

Você deve se alinhar para criar seus filhos nos caminhos do Senhor conforme a vontade dEle.

E não que seus filhos vivam as suas frustrações.

A gratidão é um hábito

Pode ser que você não seja grata por essência, mas saiba que a gratidão é algo que se rega todos os dias como as flores.

E se você persistir em ser grata, isso se torna um hábito, uma prática, um exercício.

Basta que você saiba reconhecer desde as pequenas coisas até o sobrenatural em sua vida.

Muitas vezes estamos tão acostumados a viver nossas rotinas que tudo parece normal. 

Mas você já parou para pensar que o ar que você respira é algo sobrenatural para quem está em um hospital entubado?

O teto que você tem sobre a sua cabeça é sobrenatural para quem mora na rua, a família que você tem é sobrenatural para um órfão, o seu emprego é sobrenatural para o desempregado, entre outras situações.

Por isso, nunca é muito dizer que você deve ser grata por exatamente tudo, até mesmo o que você nem acha que precisa.

Se alegre pela conquista do outro

A comparação pode ser algo que o inimigo sempre pode tentar contra você.

Mas não tem nenhum efeito, quando você se alegra com as vitórias daqueles que estão perto de você.

Lia e Raquel não conseguiam comemorar a conquista de cada uma.

Porque seus pensamentos e seus corações desejam o que a outra tinha.

A conquista de alguém não invalida suas vitórias.

Se Lia e Raquel olhassem com gratidão e amor para o que elas tinham, com certeza não teriam sofrido tanto.

Não espere sofrer, para entender essa lição.

Você é responsável pela sua felicidade

Enquanto Lia e Raquel competiam, Jacó estava no meio da disputa das duas.

Elas colocavam  sobre ele o peso da felicidade delas.

Imaginem como Jacó se sentia em relação a isso.

Estava sobre ele um fardo que não era fácil de ser carregado.

É importante que você reconheça que sua felicidade depende apenas de você.

Para que você não cobre atitudes de outras pessoas.

Quando você sabe que é seu dever ser feliz, então você mesmo começa a cobrar menos daqueles que ama.

Além disso, a vida é muito mais leve quando a felicidade acontece naturalmente.

Por fim, que essa palavra possa chegar ao seu coração e possa transbordar em outras vidas.

Você é única, você é grata e você tem sua identidade como filha amada de Deus. 

Mulheres feridas levantam bandeiras , mulheres curadas levantam mulheres”

Autora desconhecida

Escute o áudio que deu origem ao artigo:

Para aprimorar seus estudos, medite na Palavra de Deus

https://www.bibliaonline.com.br/

Artigo complementar

Eva: A importância de vigiar

Posts recentes

0